quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Silênciar


"O exercício do silêncio é tão importante quanto a prática da palavra"
- William James, filósofo e pscicólogo americano.

Acredito que, no silêncio, nos encontramos realmente de frente ao espelho. Não aquele silêncio que você precisa para dormir. Mas aquele que você busca para refletir. Em nossos momentos com ele, nos sentimos sozinhos, porém sentimos que sem ele, não poderíamos caminhar ou mesmo viver. Ele pode ser de duas maneiras (talvez mais). Confortante ou Inquietante. Ele sempre será o mesmo, o que vai torná-lo, um ou outro. É o estado de espírito de quem estiver usufruindo dele.

Nada melhor do que longos momentos em que nos encontramos em silêncio e no sentimos bem conosco. Pensamos na vida, no amanhã, nas coisas que devemos corrigir ou remover. Passamos a acreditar de que a nossa vida é algo, naquele momento, inabalável. Esse momento nos serve para consolidar nossas metas e deixar nosso corpo mais poderoso diante de nos mesmo. Evoluir talvez.

Uma das piores coisas do mundo, é quando nos encontramos frente a frente de nos mesmo naquele silêncio macabro. Em que nos vemos como monstros. Nos tratamos como um lixo da sociedade. Transformamos o silêncio em um pesadelo, em um terror próprio. Choramos por nos sentirmos tão: Errados? Falidos? Desamorosos? Qualquer coisa que nos sentimos falta, começa a nos açoitar como se fossemos morrer a cada instante. Cada vez que o ponteiro do relógio dá um passo, vemos mundos e vidas surgindo e sumindo. Essa solitária sem paredes em que criamos, nos permite evoluir ou regredir, tudo varia conforme sua força de vontade.

"Há pessoas silenciosas que são muito mais interessantes que os melhores oradores"
- Benjamin Disraeli, escritor e político britânico.

O silêncio emitido por alguém também pode ser confortante. As vezes podemos criar amigos e amores somente com um silêncio mutuo. Palavras podem ser convertidas em olhares e sinais. O que torna as coisas divinas, transformar os momentos em coisas únicas. Lembre-se: antes de aprendermos a nos comunicar, nos tratávamos com o silêncio dos olhos e dos sinais.

As vezes algumas pessoas "falantes" não dizem, exatamente, nada. E os "não falantes" dizem tantas coisas que nem precisamos ouvir para perceber. Nos filmes, as cenas mais lindas e divinas, são aquelas em que não há nenhuma fala entre os personagens, uma simples troca de olhares, um simples toque. Farão de tudo aquilo apresentado um grande poema mudo.

O silêncio de outro, pode lhe trazer: Conforto ou Inquietação. Isso irá variar conforme nos interpretamos esse silêncio ou como ele é apresentado para nos. O nosso próprio silêncio perante alguém pode nos destruir. Porém para viver, devemos sair do silêncio.

"Em matéria de amor, o silêncio vale mais do que a fala".
- Pascal, filósofo, físico, matemático e escritor francês.

Nota¹: Indicação do tema pela Natalia.
Nota²: Visual do Blog tá melhorado (?) e atingimos 1000 visitas. Não acreditava nem que poderia dar certo essa Blog (ele dá certo?), pensava que logo de cara, uns amigos iam ficar dizendo: "legal, legal", porém isso não aconteceu! Alguns falam até outras coisas (mas ainda falam "legal, legal"), mas essas outras coisas fazem a diferença. Pessoas que eu nem mantenho contato direito (não são tão amigos para dar a "moral"), elogiaram. Até alguns desconhecidos já falaram. Resumindo: Obrigado! Não sei mais o que dizer, só obrigado. Muito Obrigado pelo os elogios. Rumo a 8000 visitas!! haehahehae.
Bjs! ;*

4 comentários:

julia disse...

eu adorei!
Parabéns, Renan!
beeeeijos

Plínio disse...

como sempre... ótimo texto!

o silencio é uma coisa muito profunda
muitas vezes é dito q o silencio é apenas a ausencia de som... mas não é
o silencio fala tb
na verdade, no silencio existe muito mais sons
o silencio é uma forma muito impressionante de comunicação... é muito eficaz tb

OBS
tem post novo no Jornaleiro
http://jornaleirodeplantao.blogspot.com

Luciana :) disse...

é, pra mim, o silência serve dessas duas formas mesmo --' shauhsuahsuhasa
tá cada vez melhor xuxu =)
beijos

Natália disse...

"Em nossos momentos com ele, nos sentimos sozinhos, porém sentimos que sem ele, não poderíamos caminhar ou mesmo viver." Adorei essa parte. As vezes é melhor ficar em silencio do que falar um monte de bobagens.