terça-feira, 16 de março de 2010

O espelho embaçado da sala de estar

O ESPELHO EMBAÇADO DA SALA DE ESTAR

É por ele que tento enxergar meu mundo
As realidades, as ilusões, é tudo mudo
Nada possui uma resposta
As dúvidas vêm se aumentando
E as dores se multiplicando

Quando você acha que tudo está para morrer
Tudo volta a florescer, e você começa a temer
Você só busca preto e branco, sem tons de cinza
Está cansado de tantas voltas, por quês e dúvidas
Agora você quer respostas, ações e sem mais lágrimas

O banco de reserva não é para você
Entrar no jogo é a primeira opção
Sair do jogo é última e segunda opção
Não ter nada para perder possui tanto valor
Ter o que perder, talvez não tenha valor

Perder ou não cartas, trocar a liberdade de ter todas
Só uma carta é importante, a que você sonha
Pode jogar com todas, mas só uma importa
É com ela que pensa em entrar em jogo
Não está importando quem a tem agora

O reflexo sujo e embaçado sem imagem nítida
Somente se ver borrões e contornos
Levando a imaginar, mais traços e formas
Do outro lado, alguém também te imagina em traços e formas
Mas você não é só isso, nós temos formas de amor e dor

É o fim das dores que busca, o amor que tem
É a dor que não vai embora e o amor que não vem
O que lhe resta é estraçalhar o espelho, torna-lo cacos
Deixa-lo igual seu coração amanhã, em pedaços

_______________________________________________________________


Mais de duas semanas sem postar, sem criatividade, sem tempo e blá, blá, blá... Essa é a primeira vez que coloco algo em versos aqui, tomarem que gostem.
Não sou bom em rimas como podem perceber...
Bjs! ;*
@RenanSparrow

Atualizado: 26/06/2011.

4 comentários:

Jonas F. disse...

Visite o Nu reflexivo, pau no cu do Renan =]]

ghost__ disse...

me identifiquei momentaneamente com isso '-'
pau no cu do Renan =]] +1

Special K' disse...

Cara, adorei !
É exatamente como estou me sentindo :/

tom disse...

Sinceramente ficou muito bom...alguns problemas literais, mas, é realmente bom...
Interessante como esta pequena composição me levou a pensar sobre esse sentimento de desgaste, é, essa coisa que pesa dentro de você e que não te deixa dormir direito e nem levantar bem, esse aparente vazio que te corrói aos poucos e quando você menos espera te joga na mais profunda fossa; O ciclo vicioso de estar triste por ser infeliz e ser infeliz por que se está triste é muito normal na nossa era. Eu diria até que esse é o nosso "mal do século". O caso é que: mesmo depois de avanços tecnológicos inebriantes, que praticamente acabaram com a distancia entre os seres humanos e nos deram a capacidade de estar em todos os lugares de ter tudo o que queremos, nós não temos nada e nem estamos em lugar algum.Qual o seu papel nesse "mundo teatro"? Não sabe? é realmente esse, o de "espelho embaçado da sala de estar", onde não podemos refletir nada, pois, nós mesmos nos apartamos da nossa imagem real!