quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Mais Uma Dose



É hora agora de observar a rua através da janela. Com o copo de whisky na mão vamos dosando pensamentos, somando fatos, multiplicando sonhos, diminuindo esperanças e dividindo a realidade.

Qual parte disso tudo é de fato real? O que me fará acordar amanhã com orgulho?

Uma pessoa passa pela rua. Anda lentamente, os passos são tortos e nada sincronizados com o movimento dos braços. Brinco com os gelos no fundo do copo, eles cantam conforme dançam junto com o whisky.

Amanhã o sol irá raiar mais uma vez, talvez seja só mais um dia para ser vivido, cumprir obrigações. Mas também seja um dia para se matar dragões.

Queria que o mundo tornasse as coisas mais interessantes, mais atrativas aos meus olhos. Quero um mundo só meu, em que eu possa brincar de Deus. Eu distribuiria mais sorrisos, mais amor...

É o amor, aqui e ali. Por toda a parte, mas sempre tão ausente.

Só queria entender, isso tudo é uma pequena brincadeira de criança? Uma ciranda? Queria dançar essa música mais uma vez, ver se é essa a minha música, parar de trocar o cd.

Mas agora é somente hora de matar o copo.


___________________________________________________________________


Meses sem vir aqui, eu sei.

2 comentários:

Luana Batista disse...

Gostei de como você escreveu...usou muito bem as palavras.
Deveria escrever mas.

Luana Batista disse...

Gostei de como você escreveu...usou muito bem as palavras.
Deveria escrever mas.