sábado, 19 de fevereiro de 2011

Carangi

Você imagina uma travessia de pedestres numa avenida bem grande, milhares de pessoas passam por lá a todo instante. Seus olhos são as de uma câmera que a filma incansavelmente, e as pessoas passam aceleradas por ela, mas ela continua lá. Imóvel e imútavel.

Assim é a vida, sempre com as pessoas passando por ela. Você talvez tenta se esforçar para elas ficarem um pouco mais, mas elas sempre tem de ir. Nunca ficam, sempre tem algo para fazer em algum lugar longe de você. E a melhor parte é que elas não voltam. São furacões que marcam a terra e te levam pedaços.

A cada pedaço um sofrimento, a cada marca um desespero. Você passa a viver a vida com seu reflexo, sua paranóia, nada está mais lá com você. Somente sobra você e o tormento. Você não busca mais ninguém com medo de perder mais um pedaço. E agora não lhe resta muito para compartilhar, já te levaram quase tudo.

Talvez seja só uma hora, duas ou mais algum tempo. Elas vão e não irão retornar, só lhe resta escrever.

__________________________________________________________


Meses sem atualizar, promessas em consertar o layout. Mas foda-se, isso é meu. Faço o que eu quiser, quando eu quiser.
Bjs! ;*
@RenanSparrow

4 comentários:

Thomas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Conde Maycon disse...

Esta postagem foi interessante. Gostei da metafora da travessia da rua como comoparação com a prórpria vida, interessante é que eu sentia exatamente a mesma coisa sobre a vida. Sempre percebia que os dias passam e as pessoas tbm, com uma velocidade impressionante, e quanto mais vc tenta evitar, mais a sua vida lhe escapa pelas mãos... Será que sou só eu que odeio isso?



P.S.: Pontue melhor seu texto.

~ genocide . disse...

tudo é passageiro mesmo ... ><

~ genocide . disse...

tudo é passageiro mesmo ... ><